Uma Dança para a Liberdade, O seu Guia para a Libertação de Mentiras e Ilusões

 

Liberte-se da sua prisão emocional. Como dançarina topless, Sylvie Imelda Shene era o profissional consumado. Ela estava nele para o dinheiro e os benefícios do exercício e tinha uma regra importante nunca sair com os clientes. A vida era grande, até que ela sucumbiu aos encantos de um homem que ela não podia resistir. Ele a trouxe para o mais alto de altos e o menor de baixas. Quando ela finalmente chegou ao fundo do poço, Sylvie tentou de tudo, desde livros de auto-ajuda e programas de 12 passos para mudar sua vida mas nada funcionou até que ela começou a estudar os escritos de psicóloga Alice Miller. Sylvie aprendeu que a única maneira de sair do inferno ela se encontrou foi enfrentar seus traumas de infância, que incluíram ataques com doença grave, dificuldades de aprendizagem, cuidadores abusivos, um pai bêbado e as mortes trágicas de três de seus irmãos. Uma Dança  para a Liberdade é uma história  altamente pessoal, inspirador de bater as probabilidades de encontrar a verdade que pode libertá-lo. Além de oferecer um olhar para dentro nos excessos, perigos e até mesmo ternura dentro do mundo do entretenimento adulto, Uma Dança  para a Liberdade dá conselhos muito necessária práticos sobre como alguém pode quebrar as correntes invisíveis dos dramas dolorosos de seu passado.

get-a-signed-copy-button  buy-from-amazon-button

Prefacio

Sylvie Imelda Shene pode ver o que aconteceu com as pessoas quando eram crianças. Ela também pode prever o seu futuro. Ela não é vidente ou adivinha, mas ela sabe que as pessoas inconsciente e compulsivamente dizem a verdade e as histórias traumáticas da sua infância, repetindo e recriando o passado no momento presente.

Sylvie percebeu que isso estava acontecer com ela, e a todos em torno dela, quando no ano 2000, com 41 anos de idade, se tornou uma devota de Alice Miller. Miller, uma psicóloga suíça, reconhecida mundialmente nas décadas de 80 e 90 pelos seus livros sobre como as emoções reprimidas de traumas de infância podem ter uma enorme influência sobre o decurso das nossas vidas, forçando as pessoas a um estado de repetição compulsiva que as mantém presas na infância sem perceberem.

A escrita de Alice Miller intrigou Sylvie desde o dia que ela começou a lê-la. E, finalmente, os livros de Alice Miller tornaram-se a única coisa que poderia libertar Sylvie da sua prisão emocional e salvá-la de um relacionamento abusivo com um homem chamado Marty. Marty era um sósia de Leonardo DiCaprio. Sylvie conheceu Marty quando era dançarina de topless na década de 90 – um trabalho que foi uma carreia lucrativa e que durou quase 18 anos.

Ao contrário do homem típico que se aproximava de Sylvie no clube onde trabalhava, Marty forçou Sylvie a quebrar todas as suas regras. Marty desencadeou todos os sentimentos dolorosos dos primeiros anos de vida. Sylvie voltou a sentir-se indesejada, emocionalmente abandonada e negligenciada pelas pessoas mais próximas a ela.

Sylvie fez tudo que podia para conquistar o amor e carinho de Marty, chegou mesmo a perdoar-lhe as suas traições e a sustentar os seus hábitos de drogas e até a comprar-lhe uma Honda VFR750F sport touring de 7.000 dólares. Ela sabia que tudo isto era doentio, mas Marty tinha total controlo sobre ela.

Sylvie recorreu a livros de auto-ajuda e a um programa de 12 passos para orientação, na esperança de se tornar a pessoa amorosa que poderia mudar Marty. Uma referência num livro que Sylvie estava a ler – Codependents’ Guide to the 12 Steps de Melody Beattie – levou Sylvie ao livro Thou Shalt Not Be Aware: Society’s Betrayal of the Child de Alice Miller. Sylvie sabia apenas pelo subtítulo, que tinha encontrado algo importante. Sylvie leu o livro e gostou, mas colocou-o de lado, porque tinha esperança em conseguir uma solução rápida através do grupo Al-Anon.

Quatro ou cinco anos mais tarde, quando o relacionamento de Sylvie e Marty estava no seu pior, Sylvie caiu em si – não para ser levada a Deus como o seu programa de 12 passos prescrevia, mas para finalmente confrontar a realidade da criança reprimida que ela tinha sido. Sylvie voltou-se para as obras de Alice Miller, recusando-se a ser distraída por grupos que só lhe davam a ilusão de amor e uma promessa vazia de salvação. Ela leu novamente Thou Shalt Not Be Aware, assim como todos os outros livros de Alice Miller.

Desta vez Sylvie percebeu o quanto ela estava inconsciente e compulsivamente a recriar o seu drama de infância – não só com Marty, mas também com os membros do seu grupo de 12 passos, assim como em todos os relacionamentos na sua vida. Alice Miller tornou-se a “testemunha iluminada”, de Sylvie – no sentido de realmente saber como se curar – e ajudou Sylvie a sentir pela primeira vez na sua vida, os sentimentos intensos da criança reprimida que ela tinha sido.

Eu conheci a Sylvie há cerca de cinco anos no Facebook. Ela atraiu a minha atenção através dos seus comentários sobre a Alice Miller na sua página de Facebook e no seu blog Facing Childhood Traumas. Na década de 80, quando eu era uma jovem estudante universitária de educação em Hamburgo, na Alemanha, tive o meu primeiro contacto com os livros de Alice Miller. Através dos livros de Alice Miller, encontrei pela primeira vez – expressa de forma tão clara e com grande empatia por um profissional – o que, por meio da intuição, eu sempre senti quando via os adultos a interagir com as crianças. Alguma coisa de profundamente errado estava a acontecer naqueles relacionamentos!

As profundas perceções de Alice Miller sobre a mente humana e coração, acompanharam-me e apoiaram-me ao longo da minha vida como mãe e professora. Quando eu conheci a Sylvie, senti que ela foi uma das poucas pessoas que não só tinha lido livros de Alice Miller, como também tinha realmente entendido os seus ensinamentos muito além do nível intelectual. Assim como eu, Sylvie deixou entrar Alice Miller no seu coração e, foi capaz de se curar a partir das suas experiências traumáticas.

Eu gostaria de agradecer à Sylvie por ser corajosa e forte o suficiente para compartilhar a sua história de vida neste fascinante e inspirador livro. Espero que as suas palavras deem a volta ao mundo e entrem nos corações de muitos leitores. Uma Dança para a Liberdade, não é apenas outro livro típico de “auto-ajuda”. É a história de uma mulher incrível que nos mostra como travar e curar de graves traumas de infância.

Petra Helm

Huesca, Espanha

2014

Traduzido por Clara Pennafort